Twitter Facebook Google Plus Youtube

Southern Rock Rádio

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Los Lobos

Los Lobos

Desde 1974, Los Lobos, formado em Los Angeles, tem explorado suas habilidades artísticas e comerciais de bi-culturalismo americano, movendo-se para frente e para trás entre suas raízes mexicanas e seu amor do rock americano.
Embora a banda tenha ganhado fama no inicio dos anos 80 (fazendo a trilha sonora de La Bamba, cinebiografia de Ritchie Valens, morto em 1959, em um acidente de avião), sua carreira vem desde antes.

Cesar Rosas, Conrad Lozano, David Hidalgo e Louie Perez, quatro amigos de East L.A. e estudantes da Garfield High School, formaram os Los Lobos unicamente para tocar em casamentos, festas da escola e bares do bairro. Decidiram experimentar outros instrumentos e explorar sua herança mexicana.


Seu primeiro grande show - se é assim que podemos dizer - foi em 1978, em um restaurante mexicano em Orange County. A popularidade foi crescendo até serem descobertos por um grande produtor local. Mais shows e a fama foi crescendo. No mesmo ano deixaram o circuito de restaurantes e festas familiares para entrar em estúdio e gravar o seu primeiro disco.  


Del Este de Los Angeles (Just Another Band from East L.A.)" trazia 12 músicas cantadas inteiramente em espanhol, em ritmo latino, e de modo acústico. Eventualmente essa experimentação os levou para os instrumentos elétricos. Seu último show acústico foi de abertura para Public Image Ltd, no Olympic Auditorium, em 1980, sendo vaiados pelo público. Depois dessa experiência frustrante, Hidalgo e Perez começaram a escrever mais canções de rock de raiz e passaram a tocar em clubes de Hollywood.


Os integrantes do The Blasters tornaram-se fã da banda e fizeram de tudo para que a gravadora “Slash” os contratasse. Com um novo contrato assinado, seu segundo disco, “... And A Time To Dance” de (1983), foi produzido por T-Bone Burnett e o saxofonista do The Blasters. Steve Berlin. O álbum é bem dançante, como o nome já diz, e resgata o folclore, a cultura e revolução mexicana e contém o hit “Anselma", que ganhou o Grammy em 1983 como a melhor canção sobre a cultura de um povo.


Berlin acaba saindo do “The Blasters” meses depois da produção do álbum e se junta a banda. 


Seu álbum de estréia, “How Will the Wolf Survive?” (1984)  se torna, até então, a obra-prima do grupo. E a faixa título foi regravada por Waylon Jennings, tornando-se assim ainda mais um clássico. Foi o primeiro disco dos Los Lobos que entrou no  Billboard Top 200. 


Em 1987 chegava “By the Light of the Moon” às lojas, um disco que incluiu várias canções politicamente e socialmente conscientes sobre a vida no bairro pobre em que moravam. Atingiu a posição 47 naquele ano.


Ainda em 1987 foram convidados a fazer a trilha sonora do filme “La Bamba”, gravando todos os hits de Ritchie Valens na voz de David Hidalgo e uma ponta no filme, em uma festa, num bar perto da fronteira do México com os EUA. A trilha sonora ganhou platina dupla, as músicas “La Bamba” e "Come On, Let's Go" atingiram o 1º e 21º lugares respectivamente nas paradas e elevaram os Los Lobos como a banda preferida dos críticos. 


“La Pistola y el Corazón” (número 179 em 1988), trazia novamente a  tradicional música mexicana que tocavam no começo dos anos 70 nas festas de bairro, colégios e restaurantes. O álbum fez com que ganhassem o segundo Grammy.


“The Neighborhood”, de 1990, trazia material mais Rock and Roll, com participações de John Hiatt, Levon Helm do The Band, e do baterista Jim Keltner. O título do álbum faz conexão com os tempos de East L.A. Em 1991, Hidalgo e Perez escreveram músicas com o The Band para o álbum de reunião do grupo. Todo esse material inspirou outra obra-prima, “Kiko” (número 143, em 1992), e o som era mais voltado para um tipo de “Latin-pop”.


Em 1993, a Slash Records  lançou uma coletânea dupla em comemoração aos 20 anos dos Los Lobos. “Just Another Band From East L.A.: A Collection” (número 196) incluiu material do primeiro disco, com B-sides, material ao vivo, e os maiores hits.


“Papa´s Dreams” (1994), trás um som mais maduro, parecendo mais um cruzamento entre Los Lobos e Captain Beefheart. 


“Colossal Head” (1996), é um disco mais funk, com altas doses de soul music. Apesar do bom posicionamento, o disco é meio que ignorado por fãs e a própria banda, pois fugia completamente da concepção original. Coisas de gravadoras...


“This Time” foi lançado em 1999 explorando, mais uma vez, o folclore mexicano e o misticismo. 


Em 2001 foram premiados com o “The Billboard Century Award”. 


Em seu próximo disco, era a hora de voltar ao básico, ao rock propriamente dito. “Good Morning Aztlán” (número 82), foi lançado em 2002.


“The Ride”, de 2004 (número 75) teve a participação de alguns astros da música, como Tom Waits, Elvis Costello, Mavis Staples e Richard Thompson. 


Em 2009, Rhino Records lançou a coletânea “Wolf Tracks: The Best of Los Lobos”, com 20 músicas abrangendo toda a carreira. 


“The Town and the City chegava em 2006 atingindo a posição de 142.


 Em 2009 o mundo do rock viu o lado mais leve e “infantil” da banda. “Los Lobos Goes Disney” com regravações de clássicos da Disney. 



Com 40 anos de carreira, Los Lobos continua fazendo turnês com regularidade e mantendo um público fiel. Também são fiéis às suas raízes, mas gostam de flertar com outros experimentos.

Discografia


0 comentários:

Postar um comentário