Twitter Facebook Google Plus Youtube

Southern Rock Rádio

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Jeronimo

Jeronimo

Vindo da Alemanha, JERONIMO é (foi) um poderoso power trio. Muitos os classificam como uma banda de rock progressivo. Até que tem sentido, mas não somente isso. Talvez não deram certo justamente por não haver identidade no som dos caras. Três discos lançado e cada um flertando com um estilo diferente. Não que isso tire a qualidade do trio, das suas músicas e da performance de palco simplesmente arrebatadora.

No primeiro um rock clássico, sem muita firula. No segundo um hard rock pesado, rápido, e com um toque de Blues Rock. Já o terceiro, ah, esse sim, é um disco de prog rock.

Enfim...

Foi formado em 1969. O grupo era composto por Ringo Funk (bateria e voz), Michael Koch (guitarra) e Gunnar Schafer (baixo). São mais famosos pelo lançamento do seu álbum homônimo, lançado em 1971.

JERONIMO tocava um rock bastante pesado e com elementos de hard rock. O trio manteve-se no ativo até 1973, ano em que encerrou as atividades. O membro mais conhecido da banda era Ringo Funk, que tocou em diversas outras bandas após o fim de JERONIMO.

A história deste trio alemão começou em 1969 e muito rapidamente ganhou destaque com dois hits em 69/70 intitulados “Heya Heya” e “Na Na Hey Hey”. JERONIMO quase imediatamente ganhou fama pela Europa com ambas as faixas, conseguindo alcançar a primeira posição nos tops de grande parte dos países europeus. Ambas as faixas estariam presentes no álbum de estréia da banda intitulado “Cosmic Blues”. Foi um bom álbum, com arranjos instrumentais acima da expectativa. “Cosmic Blues” tem uma direção mais comercial, em termos musicais. É um disco simples, até certo ponto, mas o suficienta para fazê-los querer ir em frente. Foi bem recebido pela crítica e pelos fãs que quiseram ver a banda num conjunto de concertos pela Europa.

O trio se apresentou com Creedence Clearwater Revival e apareceu numa exclusiva compilação chamada “Spirit Orgaszmus”, que colocou JERONIMO na ribalta. Com STEPPENWOLF, o trio fez uma tour bem sucedida pela Alemanha e nesse mesmo ano participou no icônico Progressive Pop Festival em Colônia. Em seguida, partilhou o cartaz com bandas como DEEP PURPLE e GOLDEN EARRING em diversos festivais.

Depois de tudo isto, a banda lança o seu melhor trabalho em 1971 intitulado “Jeronimo”. É claramente o seu trabalho mais pesado, já com flertes ao progressibo, mas mantendo a linha hard mais em evidência. Além de muito lirismo que só o Blues Rock pode proporcionar. Tecnicamente é considerado - pela mídia e fãs - um dos melhores álbuns da década de 70, com poderosos e complexos arranjos instrumentais.

Em 1972 lançam “Time Ride”, seu derradeiro álbum. Progressivo na concepção. Em pouco tempo o grupo se desfez e cada membro seguiu a vida a seu modo.

Como disse acima, a banda não deu certo justamente por não saber o tipo de concepção para o seu próprio som. Não importa, no rock clássico, no hard rock ou no progressivo, o trio daria certo. Não deu. Por culpa deles mesmos.




0 comentários:

Postar um comentário