Twitter Facebook Google Plus Youtube

Southern Rock Rádio

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Pride & Glory - Pride & Glory

Pride & Glory - Pride & Glory

Uma das coisas que eu realmente dou valor a um artista e/ou banda é a sua capacidade de diversificar o seu som, ora saindo completamente do trivial e ora “martelando” em seu estilo propriamente dito. E o Zakk Wylde faz exatamente isso. O cara é um Headbanger na concepção da palavra. E também ao mesmo tempo um Sulista até a medula. Unindo esses dois lados o cidadão foi responsável por criar o Black Label Society, que é um grupo de peso e quase um “Southern Metal”. Sim, Southern Metal, pois conseguiu aliar a temática Redneck ao seu Heavy Metal explosivo. Este é o Pride & Glory e seu único disco auto-intitulado.

1 - Losin' Your Mind: O que dizer de uma música em que a guitarra e o banjo têm papel importante em todo o contexto que a letra que nos passar? Simplesmente uma abertura digna do bom e velho Southern Rock. Acho que o orgulho e todo o ideal sulista está presente na parte instrumental desta canção que é simplesmente arrebatadora.

2 - Horse Called War: Mais uma vez Zakk Wylde nos prova ser um excepcional guitarrista. O cara é preciso em cada nota musical exalada de seu instrumento de seis cordas. Wylde executa um dos solos mais sensacionais deste álbum. Ouça e contemple essa música.

3 - Shine On: Não gosto quando uma gaita é adicionada a uma música de maneira displicente. Acho que tem de haver todo um contexto para que o instrumento seja adicionado em uma determinada parte ou inteiramente numa música. E não é este o caso. Definitivamente a harmônica dita as regras com tamanha propriedade. Sem timidez, do jeito como ele deve ser.

4 - Lovin' Woman: ... E o “plugado” e o “desplugado” caminham juntos nesta canção. Bom andamento, mas o ponto forte desta é a parte lírica. Sentimento. O titulo já fala por si só.

5 - Harvester Of Pain: Um Southern Rock pesando toneladas e mais toneladas. É tão pesado, mas tão pesado que vai te dar vontade de “bater-cabeça” no estilo Metal. E se você estivesse em um concerto com certeza te daria uma vontade incrível de fazer um “Mosh”. Mas não é somente a parte instrumental que chama a atenção. Leia a letra no encarte de depois me fale o que achou.

6 - The Chosen One: Essa tem uma introdução magnífica e não vou falar muito sobre ela. Quero que você a escute e tire suas próprias conclusões. Passado este momento, é chegada a hora de bater palmas para todo o talento que este ser chamado Zack Wylde carrega consigo. E o mais legal é que ele não guarda nadinha pra ele... Pois seu nome “do meio” com certeza deveria ser “fantástico”.

7 - Sweet Jesus: Até aqui esse review só falou dos dotes de Wylde nos instrumentos de corda. Ok, tá ficando até cansativo. Que tal virar um pouco o disco? Pois bem... Lá vamos nós. Piano. O cidadão é um exímio pianista. Duvida? Então coloque esse play na vitrola e na faixa de número 7. Seus ouvidos serão agraciados com uma linda balada (justo eu que não gosto de baladas assumo que está me dá um nó na garganta). Como bem disse um amigo, meu “essa música deveria ter sido incluída na lista das “sete maravilhas do mundo”.  Concordo em gênero, número e grau.

8 - Troubled Wine: Pesadíssima e insana. Outro Southern Rock juntando forças com o Heavy Metal. Com certeza essa foi um ponto de partida para muitas músicas do Black Label Society.

9 - Machine Gun Man: Acho incrível o poder que este cara chamado Zack Wylde tem sobre seu instrumento. Ele domina uma guitarra como poucos e “Machine Gun Man” é a prova disso.

10 - Cry Me A River: Finalmente o Country dá as suas caras por aqui. E o melhor de tudo, junto com o Blues. Que combinação mais do que perfeita! E o refrão é daqueles “chicletes”, gruda em nossa cabeça e nos pegamos cantarolando. Violão delicioso.

11 - Toe'n The Line: A menos brilhante do álbum, só não faz feio. Tem uma condução até que honesta. Mas destoa um pouco do disco. Ouça sem maiores pretensões.

12 - Fadin' Away: Melancolia. Talvez um pouco pra baixo. Interessante.

13 - Hate Your Guts: Essa não dá pra levar a sério. Não no sentido pejorativo, mas sim, então... Leiam o título. Sensacional! Outra música em que o banjo é empregado muito bem, fazendo desse instrumento algo simplesmente delicioso. Adoro o som de um banjo. Ainda vou aprender a tocar...

CD 2

1 - The Wizard: Pois é, este é um cover. Um cover de uma das minhas favoritas do Black Sabbath. Fiel. Inferior a versão original, mesmo com toda a garra de Zack Wylde.

2 - Torn and Tattered: Melancólica demais. Se puder pule esta, a não ser que você esteja na fossa.

3 - In My Time Of Dyin': Mais um cover. E mais uma vez inferior a original. Ninguém sabe tocar esta melhor que o Led Zeppelin. O único atrativo é que essa música é bastante honesta. Um tributo, apenas.

4 - The Hammer & The Nail: Essa tem tudo que uma boa música caipira tem: banjo, mandolin e principalmente simplicidade. Brilhante

5 - Come Together: Outro cover. Dessa vez da maior banda de Rock de todos os tempos, The Beatles. Prefira a original. Sem mais.

6 - Found A Friend: Musica interessante. Não tenho mais adjetivos, apesar de gostar dela.

Esse é um disco essencial para quem gosta de um bom Southern Rock. Zakk Wylde mostrou seu talento de maneira detalhada e coesa. Um dos discos que eu mais escutei e tenho certeza que você também irá seguir pelo mesmo caminho.

0 comentários:

Postar um comentário